segunda-feira, 13 de maio de 2019

3 dicas de design para o seu site

Seu site é quase sempre o primeiro contato de um possível cliente com sua empresa e ninguém tem uma segunda chance de causar uma primeira impressão. Nessa hora crucial o design do seu site pode falar tanto quanto o conteúdo, então é preciso caprichar. Veja nossas 3 dicas de design para seu site:

1) Tente fugir do padrão de aparência do seu segmento de mercado
Hoje em dia os sites são muito parecidos principalmente por duas razões :
a) Estão disponíveis na Internet "peças" pré-fabricadas, templates (modelos) e bibliotecas de recursos para páginas de Internet muito boas. É uma tentação muito grande as agências digitais as usarem nos seus projetos, porque diminui os cronogramas, os custos e os riscos (porque são pré-testadas) e b) É muito comum as agencias buscarem "inspiração" nos sites dos outros concorrentes do segmento de mercado do cliente e copiarem as boas ideias. Noves fora, os sites ficam parecidos.

Como o jeito padrão de qualquer pessoa procurar um fornecedor na Internet é abrir sequencialmente os sites de vários candidatos, muitas vezes deixar abertas várias abas do browser cada uma com um site de possível fornecedor e "folhear" entre eles, um site parecido - mesmo que muito bem feito - não se destaca, pode ser só mais um, semi-ignorado na grande massa de concorrentes que hoje existem em todos os segmentos de negócios. Já um site com design diferenciado pode despertar aquele tico a mais de atenção que leve o possível cliente a buscar mais informações ou ligar.

Porém, quebrar paradigmas, inovar nas sintaxes E manter os preços do desenvolvimento próximos ou iguais à turma do pré-fabricado é uma ciência e uma arte que poucas boas agências digitais (como a Vendere  😃) são capazes de fazer.

2) Evite usar fotos de bancos de imagens.
Muitas agências usam fotos compradas de bancos de imagens nos sites de seus clientes. Não tem nada mais barato e prático... Nem tão falso também. Se você acha que aquela foto do vendedor sorridente com cara de americano engana algum cliente, bem, pense de novo. E quando é um grupo de pessoas fingindo estar em reunião, com uma modelo fingindo escrever no quadro branco? Nos casos onde se usa uma foto mais abstrata - para ilustrar um conceito ou reforçar um ideia -, as metáforas são super batidas e genéricas, porque o produtor do banco de imagens tem que criar imagens que atendam a várias situações, para vendê-las o maior número de vezes possível.

Na nossa opinião, no seu site (como na vida) a verdade é sempre a melhor estratégia. Boas fotos e vídeos reais, feitas por profissionais qualificados (como os da Vendere 😃) podem ilustrar muito melhor o seu site e passar mais confiabilidade para o seu público. E imagens mais abstratas - conceituais ou meramente decorativas - podem ilustrar muito melhor se criadas e fotografadas para as determinadas necessidades do cliente. Sabemos que nem todas as instalações, produtos e pessoas são especialmente fotogênicas, mas geralmente é uma questão de ângulo, detalhe, luz e sensibilidade do fotógrafo.

3) Procure um design que reflita o espírito da marca / empresa.
Não adianta nada você dizer que sua empresa é moderna se seu site tem uma cara conservadora ou o contrário, você quer passar segurança e conservadorismo e o seu site é arrojado. Design tem a capacidade de passar uma "vibe", um sentimento da marca, sem precisar dizer nada ou antes de alguma coisa ser dita. Esse sentimento não verbal que o design pode transmitir precisa não só ser  compatível com o espírito de sua marca, precisa reforçá-lo.

Porém essa necessidade esbarra na dificuldade que muitas agências tem de captar qual seria este sentimento para cada marca, e até no fato que algumas empresas, elas mesmo, ou não tem essa clareza, ou estão meio em cima do muro, tentando agradar o universo do mercado. Faz parte do trabalho de uma boa agência (como a Vendere 😃) entender bem a marca que o cliente construiu ou ajudar a empresa cliente encontrar seu significado e daí, traduzi-lo em design.




Nenhum comentário:

Postar um comentário