quinta-feira, 20 de junho de 2013

Por que os sites de redes sociais são azuis?


Se você reparar, a maioria dos sites de redes sociais trabalha, em sua programação visual, com tons de azul. É assim no Facebook, no Twitter, no Linkedin, Tumbler..... Há várias teses e teorias que circulam a este respeito, segue a nossa:

Estudos mostram que, apesar de haver certa variação ao longo do tempo (designs de logo, assim como qualquer design também seguem modas) a maioria estatística dos logos de grandes empresas americanas, de todos os segmentos, usa diferentes tons das cores da bandeira americana: azul e vermelho. Talvez isso aconteça pela onipresença da bandeira nas diferentes situações públicas e privadas da vida americana, o que torna essas cores muito naturais e afetivas para eles.

E dessas duas cores, tons de azul são mais calmantes, mais convidativos a se passar mais tempo no website,o que pode ter provocado sua dominância nas redes sociais. Um dos principais objetivos de qualquer rede social é fazer você passar o maior tempo possível navegando nela, isto é, passar o maior tempo possível vendo os anúncios que ela vende. Já um site em cores quentes pode ser mais cansativo e pode estimular o cliente a ir embora mais cedo.

Usar cores quentes para apressar o uso é uma estratégia conhecida dos restaurantes de fast-food,  como por exemplo McDonald's, Burguer King e Pizza Hut, que abusam do vermelho, amarelo e laranja, cores que são chamativas e atraem a atenção, mas cansativas no médio ou longo prazo. Poucas pessoas se sentem confortáveis depois de 15 ou 20 minutos de amarelo berrante em um ambiente fartamente iluminado. Isso pressiona os clientes a comerem rápido e irem embora logo, o que é lucrativo para o restaurante de fast-food, mas exatamente o contrário do que a rede social quer dos seus clientes.

Outro ponto a se destacar é que quando uma empresa americana líder de um segmento escolhe uma das cores da bandeira americana, é comum uma outra empresa que quer se posicionar como a grande concorrente escolher a cor contrária: a Coca-Cola é vermelha, a Pepsi é azul. A Marvel é vermelha, a DC é azul. A Mattel é vermelha a Hasbro é azul. A Oracle é vermelha a Microsoft é azul.

Talvez por essa oposição de cores a rede social do Google, a Google+, que tentou se posicionar como o grande concorrente do Facebook, tenha fugido da regra geral do azul das redes sociais e tenha se arriscado escolhendo o vermelho.

Porém, a rede social que Google criou para competir com o Facebook não deu certo e a empresa anunciou em dezembro de 2018 o fim de todas as contas do Google+ e a deleção de todo o conteúdo lá publicado (com um período de transição até abril de 2019, para quem quisesse fazer cópias). Seria demais atribuir só à cor do logo o fracasso do Google+, o desempenho de mercado de iniciativas deste porte é uma coisa complexa mas, no final das contas, a rede social de logo vermelho foi pras cucuias...

Um detalhe curioso sobre a simbologia das cores é que tradicionalmente o azul é a cor do Democratas e o vermelho dos Republicanos, os dois grandes partidos americanos. Nos gráficos eleitorais na televisão, é comum nos mapas os distritos onde os Democratas ganharam serem pintados em azul e os dos Republicanos em vermelho.

Nessa linha, o Vale do Silício - região da Califórnia onde ficam as sedes das empresas donas das redes sociais - e da maioria das grandes empresas de tecnologia de informação - é majoritariamente Democrata, azul portanto. É comum os líderes da indústria da informática manifestarem posições mais alinhadas com as dos Democratas, bem como, em alguns casos doarem dinheiro e explicitamente apoiarem seus candidatos.

Como comentário, antes de terminar este post e saindo um pouco da questão das cores, essa questão da maioria dos líderes da indústria de informática apoiarem abertamente a esquerda do espectro político americano está se tornando polêmica, devido ao poder de influenciar a opinião pública que as redes sociais e os mecanismos de pesquisa tem.

Seus algoritmos poderiam, em hipótese, ser ajustados para filtrar o conteúdo que as pessoas acessam de acordo com a vontade política de seus programadores, para tentar esterçar a opinião popular na direção que acharem conveniente.  Mas esse terreno minado da ação política das gigantes da tecnologia é assunto para outro post, quem sabe....



Nenhum comentário:

Postar um comentário